Velho Mundo Goles

Sherry Week São Paulo: Descubra o delicioso mundo do vinho de Andaluzia


Postada em 20/11/2023 às 22:40
Por Glaucia Balbachan


Na semana do Jerez que aconteceu do dia 06 até 12 de novembro em São Paulo, a cidade ficou repleta de eventos culturais em torno desse estilo de vinho tão especial e gastronômico.

Entre várias ações em restaurantes e degustações em bares hispânicos em SP, o Sherry Week, que está na sua 10ª edição trouxe também alguns bons destaques desse evento, que ficou por conta do Aulão online da sommelière e especialista em Jerez Gabriela Frizon (@aloucadojerez). A aula com riqueza de minúcias e informações reuniu mais de 100 participantes, no qual foram entregues a cada um kits com amostras de 8 vinhos de Jerez com charcutaria, queijo e azeitonas verdes.

Outra oportunidade de mais conhecimento neste estilo de vinho foi a masterclass, que aconteceu de forma presencial na ABS - Associação Brasileira de Sommelier/SP. Quem protagonizou a apresentação do tema foi o embaixador de Jerez no Brasil, o especialista Bernardo Pinto. A masterclass contou também com a presença da sommelière Gabriela Frison e do presidente da ABS/SP Arthur Azevedo. Na ocasião foram apresentados 12 vinhos.

O que é Jerez?
Sherry é praticamente como o sol espanhol em uma taça. É definido como um vinho fortificado da região de Jerez, na Andaluzia. Jerez é traduzido como Xerez em espanhol e o vinho leva o nome da região. Para esclarecer, há regras rígidas quanto ao que se classifica como Xerez. No entanto, trata-se de um dos vinhos mais antigos criados e é uma das bebidas mais elegantes de escolha para combater o calor do verão.

3 curiosidades sobre o Sherry espanhol

1.Os enólogos de Sherry usam apenas as castas Palomino, Moscatel e Pedro Ximenez.
2.O triângulo do Xerez é o nome dado às três cidades onde o Xerez é feito: Jerez de la Frontera, Sanlúcar de Barrameda e El Puerto de Santa María.
3.Sir Francis Drake importou o primeiro Xerez espanhol registrado para o Reino Unido em 1587. Shakespeare também era um grande fã de Jerez. Ele se referiu a bebida em sua peça, Henrique IV.

Quais são os diferentes tipos de xerez?

Agora que os bairros mais badalados de São Paulo abrigam bares elegantes de Jerez; é hora de conhecer o seu Fino a partir do seu Palo Cortado. No total, existem sete tipos diferentes de Xerez. Um para cada dia da semana! Então, antes de adicionar respingos deste delicioso vinho à sua culinária, vamos descobrir o que torna cada Jerez diferente.

Fino de Jerez

Para muitos, o espanhol Fino é o exemplo de livro didático de um Xerez clássico. Por causa disso, é mais fácil de encontrar do que outras variedades, apesar de ser feito apenas em Jerez e Puerto de Santa María. Possui aromas de ervas frescas e amêndoas. A cor palha clara espelha o delicado bouquet deste vinho e contribui para o sabor seco. São frequentemente servidos como uma bebida refrescante ao lado de queijo leve, azeitonas ou até mesmo um jantar de frutos do mar. O vinho é deixado para envelhecer em um barril por 3-7 anos e é protegido do contato com o ar por uma capa de levedura, conhecida como Véu de Flor. Marcas famosas de vinho Xerez produtoras de Fino incluem Tío Pepe (González Byass), La Ina e Inocente.

Manzanilla Sherry
Jerez Manzanilla é umvinho seco que foi envelhecido por 3-7 anos em barrica. Com notas de degustação semelhantes, este vinho engloba o espírito salgado à beira-mar de Sanlúcar, onde é feito. Sanlúcar é o único lugar onde o vinho Manzanilla é feito.

Amontillado - um dos muitos tipos de vinho Sherry!

O Jerez Amontillado começa a vida como um vinho Fino ou Manzanilla. Após o processo inicial de envelhecimento, inicia-se um segundo processo envolvendo oxigênio. Este xerez é ligeiramente mais doce do que os dois primeiros, apesar de ainda ser classificado como naturalmente seco. É um dos melhores tipos de xerez para beber com pratos principais, como pratos de carne, graças aos seus elegantes aromas de nozes. ( foto abaixo: Bernardo Pinto à esquerda, Gabriela Frizon no centro e Anthur Azevedo à direita)

Oloroso

Após a colheita, os enólogos reservam vinhos jovens com a estrutura mais robusta para a produção de Jerez Oloroso. A segunda prensagem de uvas é o ingrediente chave para esta saborosa experiência. O vinho jovem é fortificado a 18% e depois armazenado em barricas para oxidar por até 40 anos. O nome se traduz como vinho perfumado com notas de couro, especiarias e cítricos.

Palo Cortado - um dos melhores vinhos de Jerez para um dia quente

O espanhol Palo Cortado combina a riqueza da estrutura complexa do Oloroso com o frescor do Amontillado. No entanto, tem uma personalidade própria. Começa a vida como um Jerez Fino. Mas, o misterioso desaparecimento do Véu de Flor (camada de levedura) cria um vinho ambíguo que a gosto é uma versão mais leve do Oloroso.

Jerez creme

Um favorito entre os britânicos! O Jerez creme é doce e intenso no sabor. É feito pela mistura de um xerez seco com uma variedade mais doce, como Pedro Ximenez ou Moscatel. Beba isso com queijo antes de jantar, ou com algo igualmente doce. A escolha é sua!

Pedro Ximenez - o mais doce e licoroso

Se alguma vez houve uma forma de provar o sol, uma taça de Pedro Ximenez é essa definição! Este é o mais doce e licoroso de todos. É feito com uvas de Jerez Pedro Ximenez que foram secas ao sol sob o calor do sol espanhol. Não há nada igual. Na sua grande maioria notas de tâmaras, banana passa e figos cristalizados. Traz cor de ébano e acidez significativa. Uma obra de arte.

 

Serviço: 10ª edição do Sherry Week 2023

www.sherryweek.com

Fotos: Divulgação