Cardapios

Da rolha aos acessórios de moda: O La Cocotte em SP foi cenário de palestra sobre as múltiplas utilidades da cortiça


Postada em 18/05/2014 às 23:29
Por Glaucia Balbachan


Do sombreiro às infinitas criatividades sustentáveis


Muitos ainda questionam sobre a existência das rolhas de cortiça, por conta da diversidade de matéria-prima apresentada no mercado como: Rolhas de material sintético, tampas de vidro e as tampas de rosca (screw cap), que foram desenvolvidas também para proteger o vinho dentro das garrafas. Mas a resposta é não, a cortiça vai continuar vedando e protegendo os grandes vinhos, e trazendo utilidades diversas de uso.

 










La Cocotte - espaço escolhido para a palestra de Carlos Cabral sobre  a cortiça

 

 Portugal é a casa da cortiça. Em todo o mundo cerca de dois milhões de hectares citados na bacia mediterrânea, Portugal se encontra mais de 30% do total mundial. A cortiça é o nome dado à casca do Sombreiro – uma árvore que se encontra essencialmente no mediterrâneo ocidental. 

O enólogo e embaixador da cortiça no Brasil, Carlos Cabral apresentou em palestra descontraída, que da cortiça não se faz somente as rolhas de vinho, mas sim objetos como: guarda-chuvas, bolsas, sapatos, mobília, roupas e objetos de arte. O restaurante La Cocotte serviu de cenário para o bate-papo em almoço saboroso regado a vinhos lusitanos de qualidade exponencial.

 










Alguns dos muitos objetos desenvolvidos pela cortiça

 

 A matéria-prima vegetal vem mobilizando outros países como os Estados Unidos onde se recicla cerca de 530.000 rolhas. A 100% Cork desenvolveu uma campanha de ampliação do plantio de Sombreiros – a árvore da cortiça.

 










Embaixador da cortiça no Brasil - Carlos Cabral apresenta a matéria-prima a imprensa

 

O objetivo principal é expor a gama de utilidades e qualidades ambientais desse produto excepcional vindo da natureza. Nele os recursos são renováveis, recicláveis, não-tóxicos e duráveis. São bons isoladores térmicos e elétricos e praticamente são impermeáveis. 

A palestra foi uma iniciativa da APCOR (Associação Portuguesa de Cortiça, criada para representar e promover a Indústria de Cortiça Portuguesa),  que prevê a realização de vários seminários de promoção internacional, produzida em maior escala por Portugal. No âmbito dessa parceria, o especialista brasileiro já esteve uma semana no país para conhecer melhor como é extraída e processada a cortiça.

 

Serviço: Cortiça – Cultura, Natureza e Futuro

APC - Associação portuguesa de cortiça

www.apcor.pt

www.realcork.org

Informações no Brasil 



Tel: (11) 4508-8465

Fotos: Divulgação