Pratologia

A história do croissant


Postada em 01/04/2013 às 15:05
Por Glaucia Balbachan



O croissant é uma especialidade cujo nome significa “meia-lua”. É o pãozinho de massa folhada mais famoso do mundo. Seja com geléia, manteiga ou mesmo chocolate, essa delícia caiu no gosto de muita gente. Do contrário, que se pensa suas origens não está em terras francesas, e sim, nas terras austríacas. Sua origem é considerada uma das grandes lendas de todos os tempos.


Conta a lenda, que essa especialidade foi inventada por volta de 1683, em Viena. O império Otomano tentava aumentar suas possessões na Europa. Como não conseguiam entrar pelas portas da frente da cidade de Viena, o exército decidiu que, durante algumas noites eles iriam escavar tuneis até o centro da cidade.

Nesse período, o exército turco não contava com os padeiros de Viena, que permaneciam acordados durante a noite, para preparar pães frescos para todas as mesas da cidade. Em uma noite, os padeiros ouviram um barulho e deram o alarme. Isso fez com que os turcos não tivessem êxito na tentativa de invasão e de conquista da cidade.

Os padeiros não quiseram nenhuma recompensa a não ser, o direito exclusivo de criar algo que comemorasse a vitória sobre o inimigo. Pensaram então, em criar uns pãezinhos folhados em forma de meia-lua, símbolo representado na bandeira turca. Desse modo, os vienenses tinham a oportunidade de comer o tal pãozinho destruindo o inimigo. O croissant ficou conhecido por “Vinnoiserie”. Só mais tarde, por volta de 1770, que o croissant chegou ao território francês, por Maria Antonieta – austríaca de nascença e que tornou rainha da França.