Goles Viagens Novo Mundo

Sacromonte: O sofisticado hotel e seus vinhos artesanais


Postada em 21/06/2020 às 23:19
Por Glaucia Balbachan


Vinhedos nas alturas

A história da Sacromonte começou em 2014 com o projeto idealizado pelo empresário Edmond Borit. Sua paixão por vinho vem por parte de seu avô francês, que era enólogo e que tinha o mesmo nome – Edmond Borit.

Edmond é peruano, onde trabalhou por anos afio no mercado alimentício no Peru, e que depois passou uma temporada em São Paulo a trabalho, até chegar com a família no Uruguai em 2008 para ficar. Com emprego que o ocupada muitas horas e que o mantinha longe da família, Edmond cansado de viagens a trabalho, decidiu deixar o seu posto de vice-presidente e seguiu seu sonho de fazer vinho e acomodar hospedes no Uruguai.

A Sacromonte está localizada em Maldonado. São os vinhedos mais altos do Uruguai em 340º NNO. O lugar é belíssimo e as paisagens arrebatadoras. Sacromonte é vinho, mas também é hospedagem luxuosa sincronizada á uma arquitetura sustentável em atmosfera envolta á natureza. É uma experiência completa e singular.

O conceito e maior objetivo da marca é aproximar aos visitantes a sustentabilidade, o conforto, o cuidado com a natureza com horta orgânica, energia renovável e práticas agrícolas, além de trazer boa energia e atmosfera tranquila.

Outro ponto é a capela de Nossa Senhora dos Vinhedos vinda da Argentina. Toda a estrutura da capela foi feita em Portugal e montada na vinícola.

Luxo para se instalar

São como bangalôs, ou melhor, são chamados pelo Edmond de refúgios. São quatro refúgios (refúgio de viña, refúgio lago, refúgio na serra e refugio do horizonte). A experiência começa na escolha de onde se vai dormir. Como os refúgios ficam cada um em um ponto da vinícola, os hospedes terão um carrinho (daqueles que se parece com carrinho de golf), para chegar ao restaurante e para as outras atividades como: visita guiada, almoço típicos com vista em uma mesa para compartilhar, degustação de vinhos, caminhada na montanha indígena entre outros.

Os vinhos artesanais

Como as vinhas estão no ponto mais alto, recebe mais luz solar nas encostas íngremes, na Serra de Carapé. Com solos de xisto e granito, todas as vinhas foram importadas da França e cultivadas em seus 100 hectares. As variedades plantadas são: Cabernet Franc, Cabert Sauvignon, Mertot, Marselan, Syrah e Tannat.
1ª safra da Sacromonte foi em 2017 sendo elaborados dois rótulos – Sacromonte Carapé (rótulo branco) e o Sacromonte Reserva Tannat (rótulo preto).

A vinificação é tradicional e sem filtragem. O Carapé 2018 é um blend de Tannat, Merlot e Cabernet Sauvignon, que passa por 19 meses em carvalho francês. O vinho é agradável no nariz. Frutas vermelhas e negras, violeta, especiarias e toque floral fazem parte dos aromas complexos. No paladar é elegante e jovem com bom potencial de guarda, certamente. Notas de fruta fresca, acidez equilibrada e taninos redondos. Final longo de marcante. Foi uma grata surpresa.

O Tannat Reserva 2018

Um 100% Tannat elegante e saboroso. Que nos aromas apresenta frutas negras frescas, violeta e notas achocolatadas. No paladar refinamento, acidez e taninos em harmonia e final persistente de fruta na boca. Impressionantemente bom. A Sacromonte não tem importador no Brasil, mas seus dois vinhos são encontrados em Montevidéu por aproximadamente 40 dólares.

 

Serviço: Sacromonte (Craft Wines & Landscape Hotel)

Contato: Edmond Borit – Diretor ([email protected])

www.sacromonte.com

Fotos: Divulgação

Já esteve no Uruguai? Já provou seus vinhos? Comente sua experiência. Esta wine press trip foi um convite da INAVI – Instituto Nacional de Vitivinicultura do Uruguai e pela Uruguay Wine.