Goles Viagens Novo Mundo

O trabalho sublime da bodega Viñedo de los Vientos


Postada em 15/06/2020 às 00:22
Por Glaucia Balbachan


A história da marca começou em 1920, quando o senhor Angelo Fallabrino chegou a Montevidéu com sua família, fugindo da guerra. Nativo do Piemonte, na Itália, fundou uma das maiores vinícolas no Uruguai. Seu filho Alejandro seguiu seus passos nos anos 70 e 80. Em 1995, Pablo, um dos três filhos de Alejandro, ficou encarregado da vinha de Atlántica (Canelones), onde no ano de 1997, decidiu começar sua própria vinícola – sendo março de 98 sua primeira safra na bodega Viñedo de lós Vientos.


O vinhateiro e susfista Pablo Fallabrino é um exímio produtor de vinhos. É um perito em fazer vinhos com uvas italianas como Barbera e Nebbiolo entre outras em Canelones. São vinhos vibrantes, frescos e fáceis de beber. As vinhas são tratadas de forma orgânica respeitando o ecossistema local. Atualmente a vinícola é quase zero intervenção.


“Por aqui há respeito e cuidado com as uvas e com quem aparece como pássaros. Estamos no habitat deles, então alguns pés de uva são para eles desfrutar”, conta Pablo.



Depois de uma longa e agradável caminhada entre os vinhedos começamos a degustação. O primeiro do flight foi um Pet Nat (apelido carinhosos dos chamados petillant naturel), na tradução espumantes naturais. E o Pet Nat de Pablo se mostrou fresco com borbulhas macias e sutis. Muita fruta e acidez deliciosa com longo final.


Em seguida provamos o blend de Gewurztraminer, Chardonnay e Moscato Bianco chamado Estival. Fresco e aromático traz aromas de frutas amarelas e notas florais. No paladar é elegante, saboroso e com boa persistência. Uma delicia.



Depois vieram os tintos com a casta Barbera. Belo vinho de cor viva com aromas intenso de frutas vermelhas e no paladar acidez e taninos em perfeita harmonia.
O Nebbiolo crudo foi uma grata surpresa começando pelo rótulo. Que ainda vai vir para o Brasil. Vinho vibrante e natural.


Nosso favorito é o Anarkia. 100% Tannat – é um vinho singular e exclusivo. Tem que provar! O rótulo ajuda a traduzir um pouco do que é o vinho.


O Eolo, que significa Deus do vento é o Gran Reserva da marca. Com estágio em carvalho francês por 3 anos é a potencia e a elegância de mãos dadas. Com personalidade forte, intensidade e final longo de fruta na boca. Vale a investida.



E para acompanhar a sobremesa nos chegou à mesa Alcyone. É um licor de Tannat supersaboroso e aveludado na boca.


Se o Uruguai está na sua lista de viajem, a vinícola Viñedo de lós Vientos é destino obrigatório. O wine tour, as degustações e a comida são excepcionais.


 


Serviço: Bodega Viñedo de lós Vientos


Contato: Pablo Fallabrino – Diretor ([email protected])


www.vinedodelosvientos.com


Importador no Brasil: Wine


Fotos: Site Empratado


Já esteve no Uruguai? Já provou seus vinhos? Comente sua experiência. Esta wine press trip foi um convite da INAVI – Instituto Nacional de Vitivinicultura do Uruguai e pela Uruguay Wine.