Goles

Grand Cru traz a elegância portuguesa dos vinhos do Monte da Raposinha


Postada em 31/03/2013 às 19:40
Por Glaucia Balbachan


A delicadeza da Raposa


É louvável o desempenho e a evolução dos vinhos portugueses nos últimos 15 anos. A Grand Cru proporcionou uma tarde portuguesa com a apresentação do produtor dos vinhos Monte da Raposinha. Foram degustados seis vinhos resultando refinamento, esmero e suavidade. Nuno Ataíde, proprietário lusitano da vinícola, esclareceu e mostrou os aspectos de cada garrafa com descontração e bom humor. Apaixonado, revelou que gosta do desafio de fazer bom vinho. No total são 20 hequitares vinificados e são produzidas 100 mil garrafas por ano, para concentrar a qualidade do produto. A enóloga responsável pelo trabalho no Monte da Raposinha é Suzana Steban. A primeira produção foi em 2007 e não parou mais, ganhou reconhecimento no mercado e prêmios com seus produtos.  


Na degustação começamos com o branco – Monte Da Raposinha Branco 2011 – R$58,00. Fresco na boca e nariz. Boa acidez com toque mineral e frutal. Gastronômico, faz harmonização com carnes brancas e frutos do mar. O vinho é composto pelas castas Arinto (85%) e Sauvignon (15%) – Teor alcoólico 13,5%. 

O segundo branco – Athayde 2010, nome dado em homenagem a avó de Nuno é de cor amarelo-dourado, com fruta no paladar e acidez equilibrada. Leve douçura, frescor elegante e amanteigado macio na boca por conta do chardonnay. É um reserva de cinco meses em barrica, que tem 13,5% de teor alcoólico na fusão das castas Chardonnay (85%) e Arinto (15%) – R$ 88,00.

O tinto Nós 2010 – R$ 42,00 – Vinhos de castas do Alentejo – Seus vinhedos não passam de 10 anos de vida. As uvas que compõe o vinho são Touriga Nacional, Syrah e Trincadeira. vinho de personalidade forte com taninos pronunciados e paladar frutado e elegante – R$42,00.

O Monte da Raposinha tinto 2010 – É redondo e bastante estruturado. Há presença de frutas vermelhas e um toque de nozes no paladar. É um vinho com retrogosto agradável e com valor representativo no sabor –R$ 69,00.  As uvas presentes na garrafa são: Touruga Nacional, Aragonês, Alicante Bouschet, Syrah e Trincadeira – 14% de teor alcoólico.

O Athayde Grande Escolha – 2009 – É um tinto conservado em 14 meses em barrica de carvalho francês e de caráter gastronômico tem boa acidez, aroma de ameixa e tanino suave. As uvas são: Syrah, Touriga Nacional, Aragonês e Alicante Bouschet com 14% de teor alcoólico por R$ 120,00.

E fechamos com o vinho, que é a “menina dos olhos” do produtor, A Furtiva Lagrima – 2008.  Em NY ganhou prémio de melhor design do rótulo. É um vinho que fala por si. É refinado no paladar com toque discreto na madeira e framboesa e cereja suave no aroma. Retrogosto refrescante e distinto. As uvas que compõem o Furtiva Lagrima são: Alicante Bouschet, Syrah, Touriga Nacional – 14% de  teor alcoólico por R$ 320,00. É tão especial como a área de ópera de Donizete.   

 

 

 

Serviço: Grand Cru – Importadora

Rua Bela Cintra, 1799 – Jardins/SP

Tel: (11) 3062-5170

www.grandcru.com.br

Fotos: Divulgação