Cardapios

Especial MS: III FEGASA – Festival de Gastronomia das Américas reúne chefs de renome em evento majestoso no Pantanal de Corumbá


Postada em 26/05/2014 às 08:31
Por Glaucia Balbachan


Os encantos e sabores da gastronomia do Pantanal Sul Mato-grossense











Chipa - O pão de queijo pantaneiro em forma de ferradura

Engana-se dizer que a gastronomia corumbaense se resume a peixadas (pacu e pintado), frutos e castanhas. A história e essência dos produtos regionais são atraentes aos olhos e paladar. Com rios de águas calmas a cidade de Corumbá tem muito que mostrar - as estrelas da culinária ganham maior relevância na carne seca, no arroz carreteiro, furrundu ( doce típico a base de mamão verde, com rapadura e queijo nicola) e o tentador quebra torto – café da manhã dos pantaneiros.











Macarrão Boiadeiro direto do Moinho Cultural em Corumbá

Com isso, há um leque de outros subprodutos apetitosos, que marcam forte presença na região e nas mesas locais - pratos típicos como: o Sarabulho (espécie de sarapatel do pantanal), o caldinho de piranha, o peixe urucum, as suculentas salteñas, o arroz boliviano, a rapadura, a paçoca de carne seca, o mate queimado e a chipa (espécie de pão de queijo regional), que são uma pequena amostra que protagoniza a cultura alimentar de Corumbá. Frutos como: Acuri, Araçá, Araticum, Bocaiuva, Buritu, Butiá e Cagaita são apenas um exemplo de uma gama infinita de matéria-prima atraente e desconhecida pelos brasileiros.











Peixe urucum  - Pintado ensopado com temperos locais e queijo

“As características mais importantes de um local é a cultura gastronômica. Quando se chega a algum local diferente existe uma necessidade de saber o que se come naquele determinado local”, conta a professora de gastronomia Ligia Aguilar Leite. 











Prato de piranha prestes a se tornar o famoso caldo da região

Primeiro nasceu o FAS – Festival América do Sul, que por conta do sucesso está em sua 11ª edição na cidade de Corumbá. Com a diversidade cultural do evento faltada a gastronômica regional sendo assim criada o FEGASA – Festival gastronômico das Américas. É uma das festas que mais atraem as pessoas locias. Os dois pontos escolhidos para o acontecimento gastronômico é na rua entre infinitas barracas de delícias regionais abrindo espaço para a culinária e artesanato boliviano também, além do Moinho Cultural, onde há aulas de arte, culinária numa fusão festiva de conhecimento.











Chipa guaçu: Composta de fubá saboró, milho e queijo fresco

As pretensões são seguras em elevar a arte do bem comer do Centro-Oeste com estrutura, técnica e consciência alimentar. Apresentar elementos e ingredientes da região é um dos focos do FEGASA, que aconteceu em Corumbá dos dia 01 à 03 de maio. O caminho a ser trilhado é interar e integrar a gastronomia regional aumentando o valor na culinária do Estado. Tarefa trabalhosa de sintetizar produtos de uma terra com tanto sabor e história gastronômica, onde o Mato Grosso do Sul tem muito a contribuir para a gastronomia brasileira.











Sarabulho - Espécie de sarapatel pantaneiro feito pelo chef Antônio Albaneze

Durante todos os três dias de evento memorável ao incentivo do turismo e  gastronomia; experiências, informações, atividades simultâneas das aulas show foram apresentadas por chefs de diferentes países e estados brasileiros. Entre eles os chefs que abrilhantaram o evento foram: Rodrigo Martins, Marcílio Galeano, Vanessa Taba, Fellipe Zanuto, Checho Gonzales, Alexandre Furquim, Hugo Antares e Arturo Herrera.











Aula show de ceviche com o  chef Checho Gonzales no Fegasa - Corumbá

Foram ingredientes expostos da região num show a parte em apetitosos pratos típicos. Dicas, pequenos segredos da cozinha na hora do preparo, foram passados para alunos, interessados e apreciadores da culinária. 













A supersaborosa castanha de bocaiuba da região

Dentro do patrimônio natural, de uma das maiores planícies do mundo – Eco sistema único e de beleza singular, o Pantanal, foi cenário do FAS e do Fegasa, onde resultou a consagração da excelência de um trabalho, onde a cada ano ganha êxito e importância no país. 











Sobre voo pelo Pantanal de Corumbá

 


 

Fotos: Clóvis Neto