Cardapios

Soy loco por ti coxinha: Blog especializado no salgado paulistano dá dicas de como encontrar e comer uma coxinha de primeira


Postada em 11/04/2013 às 19:49
Por Glaucia Balbachan


Entre a gula e a frugalidade


Difícil encontrar quem não a aprecie. Como um sorvete de casquinha a coxinha encaixa direitinho na nossa mão e faz parte da nossa memória emotiva gastronômica. É presença garantida em festas infantis, cantinas de escola e botecos, onde se tornou prato de baixa gastronomia ganhando desenvoltura, atenção e espaço significativo. Por aí ela pode custar de R$2,30 até R$3,50 e pode vir acompanhada de catupiry dentro dela ou em um potinho como guarnição.

 










Coxinhas do Filial

 

www.soylocoporticoxinha.wordpress.com

Existem algumas versões de sua origem, mas a que se aproxima da verdade conta, que a coxinha surgiu na cidade de Limeira - interior de São Paulo, por volta do início do século XX. Tudo começou quando o filho da princesa Isabel só comia coxa de frango e mais nenhuma outra parte da ave, então, um dia a cozinheira para não desperdiçar o restante do frango começou a desfiá-lo moldando em forma de coxa. A partir daí, o salgado ganhou popularidade, adeptos e especialistas no quesito: coxinha.

Apetitosas coxinhas do Filial

Empratamos um dos três “coxinheiros” profissionais do blog - Soy loco por ti coxinha em um boteco na Zona Oeste, para saber como funciona a avaliação gastronômica comendo coxinha. Gabu Nunes, 31, biólogo de formação - trabalha com biologia molecular, biomédica e quando não está no laboratório desbrava bares e botecos comendo coxinhas com seus amigos Piero Bagnaresi e Marcelo Yudi (amigos de laboratório e experts na arte de degustar o salgado dividindo os posts no blog).

 

 

Empratado: Há quanto tempo existe e como surgiu a idéia de montar o blog?

Gabu Nunes: O Soy loco por ti coxinha tem um ano e dois meses e tudo começou quando eu,  Piero e  Yudi  meus amigos que, sempre trabalhamos juntos -  depois do expediente íamos para algum lugar comer alguma coisa. Sempre optávamos por coxinha e dessa assiduidade gastronômica decidimos montar uma página para avaliar e dar notas para as coxinhas.

 

Empratado: Como são os critérios de avaliação do salgado quando você chega ao local?

 

Gabu Nunes: Nem sempre estamos juntos para avaliar a coxinha, então cada um cobre locais novos em regiões diferentes. Quando decidimos avaliar, fomos pensando em alguns quesitos e hoje em dia são 12 itens para dar a nota. Antes de qualquer coisa pensamos na casca, massa e recheio para depois ver formato, oleosidade entre outros. Os critérios são: 1. Casca 2. Massa 2.1 Leveza 2.2 Tempero 2.3 Espessura3. Frango 3.1Compactação 3.2 Tempero 3.3 Quantidade 3.4 Qualidade do desfiado4. Conjunto da Obra 4.1 Formato 4.2 Oleosidade 4.3 Sabor 4.4 Tamanho.

 

Empratado: Quais são as características de uma boa coxinha quando ela chega à mesa?

 

Gabu Nunes: Na apresentação conta o tamanho, formato e cor que o ideal seria aquela fritura que a deixa dourada.

 

Empratado: Quais locais você julga bons para encontrar coxinhas de primeira em São Paulo?

 

Gabu Nunes: Boas coxinhas são fácies de encontrar no Veloso (R. Conceição Veloso - 56 Vila Mariana), Bar do Velho Rabo (R: Caraíbas - 605 Perdizes), Doceria Marron Glacê (R: Luis Gois - 1245, Mirandópolis), Pé pra fora (Av. Pompéia - 2517, Pompéia) e Frangó (Lgo. Da Matriz Nossa Senhora do Ó - 168, Freguesia do Ó).

 

Empratado: Já degustou alguma coxinha que se apresentasse fora do padrão?

 

Gabu Nunes: Sim. Já provei duas releituras - uma era uma coxinha redonda, sem massa apenas com recheio e a outra a massa era de feijão com calabresa, bacon e couve. Não são consideradas coxinhas. É como a “coxa creme”, aquela coxinha de frango com o osso que vem  empanada. Esse tipo de salgado a gente não avalia. Só a coxinha tradicional de frango.

 

Empratado: Qual é o objetivo do Soy loco por ti coxinha?

 

Gabu Nunes: Tudo começou como uma diversão. O obejetivo é continuar comendo muita coxinha por aí!

 

No dia da entrevista o Empratado esteve no bar Filial na Vila Madalena - a coxinha deles é bastante famosa e fomos lá, tirar a prova.

Casca crocante, massa de textura leve e cremosa, recheio generoso de frango desfiado, serviço e atendimento de primeira! É certeza de um repeteco.

 

Acesse: www.soylocoporticoxinha.wordpress.com

 

Bar Filial - Vila Madalena: www.barfilial.com.br

Valor da coxinha no filial: R$ 6,50 unidade

 

Fotos: Divulgação