Cardapios

Momotaro, de Adriano Kanashiro apresenta gastronomia criativa e contemporânea somadas a sua supremacia profissional


Postada em 11/04/2013 às 21:49
Por Glaucia Balbachan



Muito além do sushi e do sashimi


 

Já faz um tempo que a culinária japonesa conquistou adeptos - em especial os paulistanos, com seus pratos coloridos, saudáveis e apetitosos. Hoje em dia o que é oferecido em termos de serviços de culinária oriental - começa com os tradicionais restaurantes à la carte, em seguida os populares rodízios, que somam 90% das casas, depois as temakerias e por fim, os restaurantes  de fast food em shopping centers.  Mas o que se sabe é que é uma gastronomia que se come com os olhos. E também  se trata de uma culinária que não se engana, principalmente pela matéria-prima e seus temperos. Cada tipo de peixe, cada vegetal, tudo é trabalhado com atenção, mãos firmes e primor. Todos os detalhes são minuciosos ao montar e  apresentar o prato singular, que nos encanta aos olhos e paladar.

 










O battera - sushi prensado

 

Em plena Diogo Jacome, no bairro elegante da Vila Nova Conceição - encontramos um legítimo japonês cheio de charme, cultura e irreverência gastronômica para oferecer. Aberto desde dezembro de 2011, o chef Adriano Kanashiro segue com sucesso sem errar a mão. O conceito do local é de um restaurante com espírito de izakaya (boteco de japonês). Em São Paulo é possível encontrar uns cinco desses botequins por aqui,  mas todos seguem uma linha bastante tradicional. Normalmente são pequenos, simples e rústicos - é  um local onde se encontra saquê e cerveja para acompanhar porções de tira-gosto japonês. Em média a faixa etária dos clientes é de adultos e pessoas de meia idade.

No Momotaro, o que enaltece a gastronomia recheada de personalidade são as porções coloridas e inusitadas com toque de mestre. A decoração recebeu nova roupagem sofisticada aos izakayas clássicos. É possível encontrar pequenos detalhes de bom gosto em todos os cantos do restaurante. A casa é composta por quatro espaços distintos, sendo o salão da frente com luz natural, depois o lounge na entrada, mais a frente o salão principal com sofás confortáveis em capitonê com luz baixa sobre as mesas e o terceiro espaço, onde ficamos, com teto retrátil em conjunto com o disputado balcão, onde  é possível ver o chef e sua equipe trabalhar.   A decoração é discreta e contemporânea - com riqueza de objetos que não passam despercebidas aos olhos, tais como as louças sobre as mesas, piso de madeira, os delicados vasinhos de flor, o jardim vertical e gravuras em 3D com carpas na tela. Quem assina o projeto arquitetônico da casa é Roberto Kubota.

 










O apetitoso Salmão Tataki

 

O perfil de público que costuma ocupar as mesas do Momotaro é eclético, inclusive são clientes antigos de outros restaurantes em que Kanashiro já chefiou. No geral a casa recebe jovens, grupo de amigos e casais. A proposta do restaurante é de compartilhar a comida na mesa entre amigos. Quem for ao Momotaro com a ideia de encontrar sushis e sashimis convencionais, vai se surpreender ao abrir o menu - tudo é bem novo e inventivo e a intenção é de oferecer algo diferente, divertido, com cor e sabor impar.

 

Devoto e apaixonado pela gastronomia, Adriano Kanashiro está envolvido com a cozinha desde que se conhece por gente - sua mãe foi sua grande inspiração. “Meus pais tinham comércio e restaurante em Londrina. Sempre fui muito ligado à cozinha desde pequeno. Ajudava muito a minha mãe - e acabei pegando gosto pela profissão por causa dela, que era cozinheira de mão cheia”, conta o chef do Momotaro.

 










Sobremesa com o tomate momotaro

 

 Adriano tem uma história antiga com a gastronomia, que vai desde o extinto By Aoyama na Mário Ferraz e no Kinu - dentro do Grand Hyatt - de lá trabalhava sem parar fazendo seus testes. Entre 2007 e 2008 foi ao Japão e passou uma temporada por lá, e visitando alguns izakayas achou que o estilo de trabalho e gastronomia poderiam dar certo no Brasil - sem sushis ou sashimis tradicionais no cardápio, tudo seria transformado em porções.

O nome que batiza o restaurante  (momotaro), vem do tomate japonês que está pouco tempo sendo comercializado no Brasil - tem quase zero de acidez e que na maioria de seus pratos é um ingrediente coringa.

No processo de criação para chegar no resultado de seu menu - Kanashiro lê, pesquisa, come em restaurantes, e conta que tudo ajuda na hora de produzir. “O tipo de trabalho que faço é e sempre será um laboratório pra mim. São tentativas onde hoje se erra menos e se acerta mais. O processo é contínuo e se aprende o tempo todo. O importante é balancear e adquirir maturidade e experiência gastronômica. Chega um momento em que se tem tanta certeza, porque se trabalhou tanto em determinada matéria-prima, que não há erros”.  Menciona Kanashiro.

 










Um dos ambientes da casa de Adriano Kanashuri

 

 O menu da casa é sortido e vai direto ao ponto. Por sugestão do chef começamos com o inusitado salmão tataki - (salmão selado com molho de limão, ovas de salmão e pérolas de shoyo). De apresentação impecável, a porção é supersaborosa, aromática e leve.  O molho de limão permeou suavemente o salmão. Quanto ao shoyo é completamente dis-pen-sá-vel, (R$ 27,00). Em seguida, nos veio à mesa o Battera (sushi prensado) - de buri com shirauo e olho de boi - filhote de peixe prata, R$ 33,00. De textura macia, o sushi desmancha na boca, prato de paladar marcante que ganha fusão harmônica com o colorido dos peixes e o arroz. De sobremesa fomos de Momotaro - creme de maracujá, mascarpone, tofu e momorato confitado, R$ 12,00. Casamento perfeito entre os ingredientes. De textura e consistência cremosas, o açucar está no ponto certo, o tomate tem gosto de goiabada e as sementes do fruto ficam delicadamente sobre a sobremesa. Um deleite! Outra dica é conhecer a adega sortida com mais de 40 rótulos de saquê para acompanhar com as porções.

 

Gastronomia segura, criativa e experiente, bom custo benefício, calorosa acolhida, atmosfera charmosa do e sabor impar. Voltaremos com fome!

 

 Serviço: Momotaro Restaurante

Rua Diogo Jacome, 591 - Vila Nova Conceição/SP

Tel: (11) 3842-5590

 

www.restaurantemomotaro.com.br

Fotos: Márcio Palermo (Estúdio Pavão)

Bruno Pavão - www.brunopavao.com.br

http://pavaophoto.wordpress.com