Cardapios

Bistrô 28: Chef João Ragna reforça as culturas gastronômicas paraense e amazônica em menu especial


Postada em 24/11/2014 às 01:25
Por Glaucia Balbachan


Sabores verde e amarelo


Em meio ao burburinho dos bares e restaurantes da Rua Joaquim Távora, na Vila Mariana/SP, a ousadia, paixão e dedicação imprimem uma identidade singular e ainda agora mais sólida ao Bistrô 28, que funde experiências, pesquisas em loco e ingredientes de primeira. Aberto há três anos, já se nota grande evolução e estrutura gastronômica. Com conceito de alta gastronomia e bom custo benefício - a casa busca sabor, qualidade e essência. A linha de trabalho é contemporânea, onde existe a união das cozinhas francesa, italiana e brasileira focada nos insumos paraenses e amazônicos.



Ambiente diminuto e intimista, o local ganha mais aconchego e conforto com a luz baixa e iluminação de velas. A casa é dividida por dois espaços, sendo o salão principal interno e o terraço coberto. O publico no geral é variado, mas grupos de mulheres e casais são presenças marcantes no bistrô. Chefiados pelos irmãos e sócios João Ragna e Renato Brunetti - nada sai da cozinha sem passar pelos olhos atentos dos proprietários. João está envolvido com as panelas há mais de 10 anos e antes de abrir o bistrô passou pelas cozinhas do Friccò, Zest, Condessa, Mercearia do Conde, eventos e no norte da Itália no Hotel Bellevue, onde ficou por uma temporada estudando gastronomia e trabalhando.



Embora, Ragna seja especializado em cozinha francesa e italiana - ele sempre gostou muito da gastronomia “verde e amarela” e o projeto de um festival de comida da região do norte do Brasil “Garimpos do Bistrô”, foi um desafio que levou quatro meses para acontecer. Dalí em diante outros pratos foram sendo testados, viagens ao norte do país aconteceram com frequência e a casa agora ganha personalidade brasileira com autenticidade.



O menu é enxuto e descomplicado entre os protagonistas brasileiros ficam o supersaboroso Picadinho de tambaqui em tela de abobrinha com arroz Iansã e farofa de dendê; outra escolha suntuosa aos olhos é o pirarucu grelhado em crosta de castanha, palmito pupunha puxado na manteiga de garrafa e torre de legumes. Há também pratos franceses como o Magret de pato com molho de mel de engenho, purê de banana da terra e queijo coalho crocante ou mesmo um Tagliatelle de urucum salteado com shitake, aspargos e queijo chèvre. A casa com inspirações brasileiras serve menu executivo no almoço que a cada dia ganha mudanças - sempre são duas entradas, três principais e duas opções de sobremesa para escolher por R$ 25,90.



Com as temperaturas se elevando por conta do verão, Ragna em suas viagens descobriu algumas cervejas artesanais amazônicas para harmonizar com seus pratos brasileiros – o resultado foram quatro combinações atraentes que podem ser degustadas no almoço ou jantar: Cerveja Forest Bacuri: Harmonizada com o pirarucu grelhado em crosta de castanha do pará, palmito pupunha na manteiga de garrafa e torre de legumes. Cerveja Witibier Taperebá: Spaghette com polvo puxado na manteiga de limão, pimenta defumada, coentro e cebola juliene. Cerveja Red Ale priprioca: Filet Mignon grelhado ao poivre do Pará e crispie de risoto de queijo boursin ou Bolinho "caipira" de rabada. E a cerveja Stout açaí: Carré de cordeiro braseado com molho de açaí e macaxeira na manteiga de garrafa ou Bolo de chocolate da ilha de combu e geleia de cupuaçu e sorvete. Sem erro!

Pratos incomuns, carregados de cultural regional, muito sabor, cor, atendimento e serviço impecável. Vale a visita!



Serviço: Bistrô 28
Rua Joaquim Távora, 1068 – Vila Mariana/SP
Tel: (11) 5082-3167
[email protected]
www.bistro28.com.br
Fotos: Divulgação