Cardapios

Oryza Restaurante incorpora conceito bistronomique e oferece menu especial a preço tentador


Postada em 11/04/2013 às 22:36
Por Glaucia Balbachan




Muito além do arroz


O resultado da união de dois profissionais com know-how e personalidade gastronômica, não poderia ter melhor resultado. Quando os chefs Márcio Silva e Daniela Amendola uniram conhecimento, paixão pela cozinha e técnica de fora, levou-os a inspiração de exaltar o arroz.


Ingrediente esse, que batiza o nome da casa Oryza - (arroz em latim), com 12 tipos diferentes do cereal. Embora muita intimidade com o produto, a casa vai além, dos arrozes e abre um viés de uma cozinha inovadora e contemporânea.











Sopa de abóbora do Oryza

Os chefs Daniela e Márcio interagem o tempo todo na cozinha, na carta de vinhos, na administração, criação de menu, compra e agora nos eventos que a casa promove. Os perfis de cada um são diferentes em relação à cozinha, porém se completam no Oryza. Márcio morou por mais de uma década em NY e trabalhou no restaurante Bouley, no Café Boulud e Bar Boulud e Daniela estudou na Le Cordon Bleu - França e depois estagiou no D.O.M  de Alex Atala. “Muita gente me pergunta como funciona dois chefs numa cozinha e eu digo que funciona muito bem. Nada passa direto sem que o outro não saiba. Não há ego, há trabalho e não é pouco. No final a gente se diverte muito - a interação é grande”, abre o chef Márcio Silva.


O conceito “bistronomique”, que o Oryza adotou vem do francês bistrô e economia. Essa proposta existe na França, já há uns seis anos - criado por chefs de restaurantes renomados de alta gastronomia com estrela Michelin. A ideia era de deixar de lado os adornos mais pomposos, fundir a simplicidade com a técnica e talento com o mesmo nível de exigência - diminuindo o custo benefício. Resultado: Sucesso. Na Inglaterra o mesmo conceito ganhou o nome de “Gastro Pub” esgotando as reservas desses locais. “Certamente não serviremos caviar, trufas frescas de Alba ou Froie Gras. Não haverá toalhas sobre as mesas ou três tipos de taças diferentes acompanhando, o menu será mais enxuto, libertador e atraente para todos os bolsos”, conta Silva.











Entrada contemporanea: Bacalhau Mantecato

Essa ideia deu tão certo lá fora, que acabou gerando um guia chamado ‘Le Fooding’ - guia culinário francês para restaurantes com viés alternativo - hoje em dia também existe em NY. A cozinha é alternativa, democrática, sem frescura, com bom acabamento e com produtos frescos.


Com essa tendência que só existe lá fora, os chefs do Oryza ficaram tocados e resolveram apostar nesse estilo, trazendo a técnica, bom preço e comida despretensiosa. Os vinhos não ficaram de fora nesse quesito. É possível pedir uma taça, meia garrafa e por aí vai... Uma prova disso está no Menu 45 - composto por couvert, entrada, principal e sobremesa. Em algum desses pratos estará presente o DNA do Oryza para representar. Toda semana o menu muda.











O apetitoso arroz Thai

Com o arroz, as possibilidades são infinitas na hora de criar. É um produto neutro que vai com tudo. Difícil encontrar quem não o goste. A base do processo de criação para o chef Márcio é a informação, a troca de ideia com outros cozinheiros e comer em outros locais. “Sair do país ajuda, estudar, pesquisar, mas comer é um dois melhores caminhos. No início da minha carreira, um chef de cozinha de fora, me disse que eu deveria gastar dinheiro com livros e com refeições em restaurantes. O processo nunca para. Quando vou à feira, só de olhar para os produtos, já começo a desenvolver ideias para o menu”, finaliza o chef do Oryza.


Com um ano de existência, depois de muita pesquisa Márcio, que está envolvido com a gastronomia desde 1990, descobriu que havia muitos livros sobre arroz e que o arroz é consumido por 2/3 da população mundial diariamente, então, resolveram investir no grão que é bom, fácil e que sustenta. Como no Japão, o arroz no Oryza será tratado como prato principal e não como acompanhamento. Ele é a estrela da casa. Mas não só ele - carnes e peixes entram em cena também.











Riz au lait da casa

Vermelho em toda a fachada, a casa tem dois salões (piso inferior e superior) com paredes de tijolos aparentes pintadas de branco. Sobrado pequeno e intimista, a luz baixa traz conforto e atmosfera acolhedora.


O perfil de público no geral é bastante variado. Nos finais de semana no almoço é possível encontrar as pessoas do bairro de Higienópolis, à noite as mesas são ocupadas por grupos de amigos, casais e terças e quartas ficam por conta de algumas celebridades como artistas e políticos.


O menu é enxuto e vai direto ao ponto. Começamos “empratando” a entrada suave e colorida de uma sopa de abóbora com sorvete de queijo de cabra e abacaxi caramelado (R$15). Leve e bem temperada é inusitada a sensação do quente da sopa com o frio do sorvete no mesmo bowl. (Está disponível tanto no menu 45, quanto separadamente a la carte). Em seguida, nos chegou à mesa outra entrada de apresentação que faz juz a linha gastronômica que a casa segue - contemporânea. Bacalhau Mantecato - azeitona desidratada e coules de pimentão (R$ 19). Proposta saborosa com a presença de texturas diversas. Começando com a cremosidade delicada do bacalhau e da crocância da azeitona e dos flocos de arroz. Depois, chegou o principal - Arroz Thai - (jasmim), camarão, curry apimentado e coco (R$74). Aromático e de apresentação impecável, o prato atraente aos olhos e paladar é harmonioso na sua composição. A presença do curry e do coco permeou todos os ingredientes. Camarões generosos e arroz molhadinho supersaboroso.











Torta de chocolate com sorvete de caramelo

Para fechar, não poderia ser melhor a sobremesa, fomos de Riz au lait - arroz doce com calda de caramelo e flor de sal (R$ 15). Suculento e apetitoso - tem gostinho de infância. O caramelo ajuda a quebrar o branco da sobremesa, mas é dispensável. É de comer rezando! E por fim, outra dica para fechar no menu 45 - a torta de chocolate com sorvete de caramelo (R$15). Chocolate meio-amargo macio com a bola de sorvete de caramelo feita na casa.


O restaurante ainda tem carta de vinhos democrática e bebidas saborosas como o drink da casa o Oryza - espumante, saquê, suco de ameixa e amarena (R$ 18). Leve e refrescante.


 Presença de identidade na gastronômica, pratos bem executados, sabor, serviço atencioso e cordial, bom custo benefício e atendimento descomplicado. Voltaremos com fome!  


Serviço: Oryza Restaurante


Rua Mato Grosso, 450 - Higienópolis/SP


Tel: (11)3151-4463 / (11) 3255-4293


www.oryza.com.br


Fotos: Márcio Palermo - Estúdio Pavão


Estúdio Bruno Pavão - www.brunopavao.com.br


http://pavaophoto.wordpress.com