Empratados

Wines of Chile 2018 impulsiona presença com seus clássicos no Brasil e mostra a Carménère como favorita nos cortes


Postada em 28/08/2018 às 00:06
Por Glaucia Balbachan



Clássicos são clássicos principalmente se tratando de vinhos chilenos. E nesta recente edição do Wines of Chile, produtores e enólogos consagraram suas safras firmando-se ainda mais no mercado brasileiro.


Na esperada Masterclass estavam presentes os representantes da associação chilena de vinhos e da presença do ministro de relações exteriores do Chile Roberto Ampuero, além de 10 importantes produtores de vinho.


Receitas clássicas, cortes bordaleses e em especial a variedade Carménère teve destaque nas provas de apresentação como um unânime blend na 8ª edição da Wines of Chile em SP.


Vinícolas de renome como: Casa Silva, Valdivieso, El Principal, Concha y Toro, Ventisquero, Cousiño Macul entre tantos outros produtores presentes fizeram uma bela feira. A cada ano sempre uma grata surpresa pela organização.



É importante dar um norte ao consumidor iniciante brasileiro - poder conhecer e entender sobre os vinhos chilenos é muito bom, mas poder começar com os clássicos é ainda melhor. Ponto positivo à Wines of Chile. Separamos aqui quatro vinhos chilenos clássicos arrebatadores.



Viña El Principal


Safra 2014, conhecemos por meio do próprio enólogo Gonçalo Romano, o tinto Memorias. Um blend de Cabernet Sauvignon, Syrah e Petit Verdot que teve passagem por 17 meses em barricas de carvalho francês. É um vinho que se pode guardar por longo tempo seguramente. Embora jovem se mostrou complexo e encorpado. Nos aromas frutas vermelhas, frutas negras e especiarias. É um vinho para ser tomado lentamente, porque a graça do vinho está nas mudanças que ele vai trazer pra sua taça. Foi uma boa surpresa no paladar – com frutas negras e ameixas com taninos bem trabalhados e acidez equilibrada. Um belo trabalho. Importado pela Decanter.


Viña Concha y Toro


Talvez esse nome seja um pouco mais familiar. É a maior vinícola do Chile com várias linhas de vinho que cabem no bolso e gosto de quem consome. São vinhos sempre redondos e fáceis de beber. Sem erro na hora da compra. No tasting o enólogo Marcelo Papa apresentou o lançamento Marques de Casa Concha Etiqueta Negra 2016 – Um assemblage clássico bordalês de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Petit Verdot. Também com potencial de longa guarda, nos chegou jovem, porém com personalidade forte. Nos aromas frutas vermelhas e cassis, há notas herbáceas também. Na boca é gostoso, vivo e com boa acidez, taninos e persistência chilena. Adoramos. Importado pela VCT Brasil.


Ventisquero


Outro nome bastante presente no mercado é a Viña Ventisquero. Com ela conhecemos o Enclave Cabernet Sauvignon safra 2011. Saboroso, trata-se de um blend de Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Carménére e Cabernet Franc. Aromas de frutas negras como amoras, cerejas, amarenas e notas mentoladas. Na boca amarenas, frescor, taninos bem trabalhados e fim persistente de fruta no paladar. Importado pela Cantu.


Por fim fechamos com a Viña Cousiño – Macul. Intitulado Lota 2011 é um blend de Cabernet Sauvignon e Merlot. Logo, cassis, mirtilo e amoras estão presentes nos aromas. É um vinho para tomar sem pressa com longas e agradáveis conversas. Na boca é agradável, encorpado, macio, fresco, frutado com taninos e acidez dentro da simetria. É marcante no inicio ao fim. Vale a experiência. Importado por Norimport.


Serviço: Wines of Chile – SP 2018
www.winesofchile.org


www.prochile.gob.cl


Fotos: Site Empratado