Cardapios

Imagina na Copa! Como anda a gastronomia nos arredores dos estádios e em cidades turísticas que vão sediar os jogos


Postada em 17/12/2013 às 07:18
Por Glaucia Balbachan


Em dia com a vigilância


O comentário que já virou o bordão: “Imangina na Copa?” é sempre mencionado quando se falam em organização e reservas de hotéis, transportes públicos e aeroportos para os visitantes que virão para a festa esportiva da copa, mas nunca se falou sobre como a gastronomia e serviço de restaurantes e bares se focam para receber turistas estrangeiros e brasileiros. Do contrário, as opções de variedades gastronômicas são grandes, certamente não faltará comida e bebida, mas o que vai contar será o quesito qualidade do produto, serviço e atendimento.









Desde o ano passado, a vigilância sanitária liberou um check list com o objetivo de classificar restaurantes e bares localizados nos arredores dos estádios e perto de pontos turísticos das cidades participantes. O estabelecimento pode ou não optar em participar dessa avaliação. A vigilância classifica a casa com uma, duas ou três estrelas na porta da casa e o turista saberá se o local é bom, organizado sem temer surpresas. Esse projeto foi uma inspiração que aconteceu em NY.









Envolvida há 15 anos com a área de qualidade, A engenheira de alimentos Tatianna Oliveira Monteiro - proprietária da empresa Food Quality, conta que bares e restaurantes a procuram quando a vigilância apareceu e achou várias irregularidades. “Não é só abrir um local, fazer uma decoração bonita, colocar mesas e luz baixa para atrair clientes. Há pré-requisitos que muita gente não conhece em relação à segurança, higiene, armazenamento de matéria-prima e outros. O ideal é procurar um profissional antes de montar tudo”, comenta a engenheira Tatianna Oliveira Monteiro.


Com quase dois anos, a empresa Food Quality, surgiu na necessidade, de orientar e abrir o olho de pequenas empresas de alimentos e restaurantes em relação as legislações. Com expertise em qualidade, o foco são pequenas e médias empresas de alimentos, que não tem conhecimento algum do negócio. “A lei está aí em movimento e todos que estão inseridos no nicho da gastronomia precisa estar a par de tudo. A vigilância tem a preocupação de fortalecer estabelecimentos, produtores e fornecedores tornando uma cadeia segura na hora do produto chegar à cozinha do restaurante.”, diz Tatianna. A Food quality trabalha também com a rotulagem. Informações nutricionais, ingredientes discriminados, data de validade, se tem lactose ou glúten são itens indispensável e é lei para a segurança do consumidor. 

 

Serviço: Food Quality – Soluções em qualidade e processos

Tel: (11) 99955-5288

www.foodquality.com.br


Fotos: Divulgação