Cardapios

Jantar elaborado pela Chef Telma Shimizu do Aizomê reservou surpresas da arte gastronômica oriental


Postada em 01/06/2015 às 02:12
Por Glaucia Balbachan


Proposta de uma experiência singular, o Empratado pôde estar presente no jantar magno elaborado pelas mãos da chef Telma Shimizu do Restaurante Aizomê em SP. A caráter experimental, alguns produtos exclusivos presentes tornaram a noite ainda mais única. Trata-se dos shoyus de edição limitada com embalagens tecnológicas da marca Kikkoman – fabricante mais tradicional de molhos de soja no Japão. O produto é tão especial, que é o único que entra na Casa Imperial japonesa, isso explica sua altíssima sublimidade.



Outra surpresa da noite gastronômica memorável foi a presença da special guest e melhor chef do mundo – Helena Rizzo. Uma sumidade da cozinha japonesa preparando um jantar de seis fases para a melhor chef do planeta julgada pela revista britânica The Restaurant.Na autentica gastronomia japonesa e no melhor estilo slow food, os realizadores da noite ilustre ficou por conta do Dô Cultural e o C5 – Centro de Cultura Culinária Câmara Cascudo, tendo o Restaurante Aizomê como cenário principal da ocasião.



As seis etapas do jantar japonês priorizaram a matéria-prima sazonal respeitando a natureza. Cada prato que chegava a mesa era explicado pela própria chef Telma. Os molhos da Kikkoman que foram escolhidos para o jantar foram: O Shoyu Guen-en (less-salt). De embalagem verde é suave no sabor, por conta da fermentação natural e 40% menos sódio. É o mais leve com doçura natural e presença de umami. A segunda opção de molho selecionada foi o Dashi Shoyu (shoyu com caldo essencial dashi), com a embalagem azul é um molho que faz fusão do shoyu fermentado com caldo essencial dashi, alga kombu e lascas de peixe seco bonito. Aromático e com cor de caramelo traz potencia no quinto gosto - o umami. A última opção escolhida apresentada no jantar foi o molho Shiboritate Nama (shoyu fresco). Fresco, porque não passou pelo processo de pasteurização é quase transparente. Tem características originais da fermentação e umami intenso com aroma delicado. Mas o que chamou atenção foi a tecnologia dos frascos; maleáveis permitem a saída do molho no controle dos dedos, evitando o desperdício do produto. Ambos os três produtos de excelência, infelizmente não estão disponíveis no Brasil.



O jantar Kikkoman deu inicio aos trabalhos com a entrada delicada e saborosa apresentada em bandeja de louça aredondada: molho ponzu que serviu para temperar as frituras – manjuba, lula, siri mole e lenkon. Depois yakinasu, algas e ankake (awabi grelhado), e para completar a entrada, Shiro gomadofu com ikura, kuro gomadofu com uni e hon wasabi e shoyu Kikkoman.
Depois nos chegaram à mesa Sashimi e Sushi Moriawase acompanhados de wasabi verdadeiro e shoyu Kikkoman. Ambos os pratos estavam acima de tudo bem feitos e com equilíbrio na cor, sabor.



De apresentação impecável aos olhos, fomos servidos com o terceiro prato, que se tratava de um caldo com lagostim envolvido no linguado, tofu, shiitake, enoki e mitsuba ao dashi – com momiji oroshi, gengibre ralado, cebolinha e shoyu Kikkoman. Delicioso e delicado no sabor, o tempero leve permitia o sabor dos ingredientes trazendo aromas persistentes no ambiente. O quarto prato foi o suculento Steak de Wagyu que acompanhou cogumelo eryngui, batatinhas, mini abobrinhas, ervilha snap, mini tomate momotaro, hon wasabi e shoyu Kikkoman. Prato rico de texturas e contrastes.



E fechando a experiência gastronômica oriental, a chef Telma apresentou doce de abobora kabocha e shoyu Kikkoman less salt em três versões que impressionaram todos os presentes na noite.



Numa noite rica de informações, histórias e boas conversas à mesa o trabalho exposto apresentou o conhecimento, o reconhecimento, os princípios e valores das origens do Japão em cada prato servido pela chef Telma Shimizu. A experiência certamente foi marcante.