Goles

Wines of Chile 2016: O maior exportador de vinho no mundo ressalta seus vinhos de clima frio


Postada em 07/08/2016 às 22:50
Por Glaucia Balbachan



A presença dos vinhos do Chile no Brasil é sempre grandiosa e esperada. O país que tem mais mar do que terra sabe aproveitar, o que seu terroir traz de melhor a cada ano. Quando se fala em vinhos chilenos sempre gera uma grande expectativa e um consenso de que coisa boa vem por aí. (Foto abaixo: Norio Ito)



A 6ª edição do Wines of Chile SP, que aconteceu na última quarta-feira dia 6 de agosto surpreendeu com a Masterclass comentada pelo premiado sommelier chileno Marcelo Pino e com as 11 amostras das seguintes vinícolas: Cono Sur, Montes, Ventisquero, Errazuriz, Emiliana, Morandé, Casa Silva, Siegel, San Pedro, Viña El Principal e Santa Rita. ( Foto abaixo: Norio Ito)



A bancada ocupada por 14 convidados entre enólogos e representantes de produtores teve presença de Mario Pablo Silva (Presidente da Wines of Chile), e o enólogo e viticultor chileno Mario Geisse.



O tema deste ano tratou de Vinhos de Clima Frio em um flight saboroso e imponente. Regiões que recebem o frio do Oceano Pacífico, de regiões de águas geladas e locais com neblina resultaram bons vinhos. De geografia rica, o Chile aproveita sua Cordilheira, Deserto e Oceano usando sua tecnologia e expertise para fazer o que eles fazem de melhor – Vinho.



O tasting começou com brancos atraentes no aroma e paladar, onde foi servido: O Sauvignon Blanc do produtor Montes, o Chardonnay Tara da Vinícola Ventisquero o Chardonnay da Errazuriz e o blend de Chardonnay, Roussane, Marsanne e Viogner do produtor Emiliana. Um salve especial aos Chardonnays das vinícolas Ventisquero (Importador Cantu) e Errazuriz (Importador Vinci), pela mineralidade, frescor, acidez e sabor de maracujá. Vinhos impressionantemente bons.



Em seguida degustamos seis tintos de uvas, safras e intensidades distintas. Na sua grande maioria vinhos novos e frescos. Morandé trouxe um Cinsault de safra 2014 que lembrava um Beaujolais no nariz – com muita fruta vermelha, delicadeza e frescor. Casa Silva abriu um Pinot Noir que fez jus ao tema do evento, fresco e muita fruta – com tanino, acidez e retrogosto marcantes. O produtor Siegel serviu seu Carmenere 2014 com notas herbáceas e especiarias nos aromas. A vinícola San Pedro apresentou seu 100% Syrah com notas tostados, frutas negras e madeira.


Nossos favoritos da Masterclass foram o trio: Memorias 2013 da Viña El principal, O Cabernet Sauvignon da marca Santa Rita e o Silencio da vinícola Cono Sur. Todos os três vinhos bastante expressivos, encorpados, de alta acidez, taninos presentes, muita fruta negra e menta nos aromas, bom preenchimento de boca e fim longo – memoráveis. (Foto abaixo: Norio Ito)



Mas não acabou por aí. Depois do tasting começou a feira com 32 produtores que foi o maior sucesso de público. Costuma sempre lotar e este ano não foi diferente. Entre as novidades um Rosé feito de Pinot Noir da marca Leyda – Bem bom. Fresco, delicado, com fruta vermelha fresca e aroma floral – R$ 67,00 (Importado pela Grand Cru). Outro vinho que chamou atenção foi da Viña Casa Donoso que apresentou o Sucesor Romano – Um projeto de vinhas velhas com 85% Cesar noir e 15% Carignan. As vinhas chegam há 80 anos. É um vinho intenso e persistente. Frutas negras, acidez alta, frescor e taninos domados são suas características. (Importado pela Vitoria Foods) – R$ 149,90.




E fechamos o evento chileno com o El Principal da safra 2011 - Uma delicia. De alta intensidade aromática, o tinto memorável da região do Valle do Maipo é complexo. Frutas negras, madeira, especiarias, notas de violeta, taninos macios, frescor e final longo expressam um belo trabalho de um vinho de clima frio. (Importado pela Decanter) – R$500,00.



Serviço: Wines of Chile 2016
ProChile – www.prochile.gob.cl


Fotos: Site Empratado